. . o que contém atrás das palavras . .

Contador de histórias

Viver sem lembrar

Por acaso eu te encontrei, tão fácil te ganhei, tão rápido me conquistou, foram manias, brincadeiras, sorrisos, e veja só aonde nós chegamos, eu te perdi. Tão rápido, quando dei por mim te vi passando por entre meus dedos. Lá estava você longe de mim, pedindo pra esquecer, mas como ouvi ontem ‘me diga como é viver sem lembrar’,  porque eu ainda não sei como é isso.

Acho que toda história  tem um começo diferente, o nosso um pouco bizarro, menino de óculos com cara de nerd, sorriso metálico, quem diria meses depois, um garoto tão forte, descolado, carinhoso, um sorriso apaixonante e tão meu. Sempre me pergunto o que nos fez chegar até aqui e o porque de eu sentir tanto sua falta. Cheguei aonde eu queria, tenho tudo ou quase tudo, que eu quero. Não foi fácil, mas, difícil mesmo foi te ver partir.

Sei que não tem obrigação nenhuma de ainda me querer por perto, como eu não posso te exigir, só posso desejar. Olhar pras coisas e pessoas e relembrar, lembrar de cada sorriso e de cada erro. Sei que os maiores foram os meus, que erro após erro nós contruimos um fim.

Não me resta culpar nem chorar, lágrimas nunca foram o bastante, mas não me perdoaria em permitir que mais uma saísse de seus lindos olhos.  Um dia tão lindo e eu passo por aqueles caminhos, aqueles que tanto andei em busca de te encontrar. Os frequento em dias e horários diferentes dos teus, mas não evito passar em frente ao lugar que chamávamos de nosso. Pra mim ainda tem nosso nome lá e meu coração ainda me faz se sentir em casa.

Não fujo, mas evito. Um erro talvez… Mas quando eu te ver não sei o que vou fazer, posso simplesmente fingir não te ver, posso te olhar mas sem qualquer outa reação, posso te abraçar e pedir que o silêncio fale por nós dois, mas como sempre fui tão impulsiva prefiro ficar na dúvida de nunca saber como poderia ter sido mais uma vez te encontrar.

Tem coisas que agente não esquece, quando vejo alguém abraçando e levantando até os pés da garota saírem do chão, lembro dos nossos encontros, do meu rosto no seu pescoço, do seu jeito, de como você era o encaixe perfeito, daquele beijo, do primeiro e tão bem do último. Não dá pra esquecer, mas preciso evitar lembrar.

Tem dias que acho que sou um muro de concreto nada me derruba, nada me arranha, nem mesmo você… mas como qualquer muro um dia ele sede e a queda causa estragos. Talvez esses dois últimos dias tudo tenha influenciado pra que eu lembra-se  e amanhã quando eu acordar, levantar pra finalmente voltar a minha rotina, você esteja de novo guardado, mas a vida é tão estranha  que tudo se torna possível.

Saber que você ta bem já me conforta, saber que não te tenho comigo se torna suportável. Hoje descobri que talvez agente tenha desistido muito cedo de nós dois, não lutamos o suficiente, apenas nos entregamos ao fim. Agora tudo se perdeu, juntar os pedaços daria muito trabalho, e como todo espelho que um dia quebra, não voltaria a ser perfeito como antes.

Só espero que fique bem, que quando sentir falta, me diga um simples oi, diga que ta vivo, que ainda sorri, evite dizer que já encontrou alguém pra me substituir, mas não deixe d procura-la, sei que já se passou um bom tempo e nada em mim mudou, mas do fundo do meu coração eu espero que você me esqueça, que ache alguém que realmente possa te dar valor, alguém que seja só sua, que te abrace todos os dias olhe nos teus olhos e tenha um amor que se esbanja através de cada ato feito. Me perdoe por tudo que eu já te causei, que as lembranças boas seja o resto, aquilo que sobra quando algo acaba.

Que com o cair da noite, tudo se esqueça, que seja a última que eu me renda a lembrar, a última que lágrimas iram cair, que hoje elas se sequem, que sorrisos se abram, que amanhã seu sorriso ainda esteja ai, tão perto e tão longe de mim.
A máscara foi posta, o sorriso esticado e que a ilusão comece.

Anúncios

Um certo cara de bobo

Eu costumava pensar que não seria nada, que você sumiria como os outros, e veja só você nunca, nunca mesmo saiu do meu lado, nem se quer por um segundo. Você não tem uma auto estima muito boa, vive falando mal de si, o que me irrita porque você não sabe o bem que me faz, você é teimoso feito uma porta, um bobo muito bobo,  me faz rir de tudo, me tira do chão pra mim voltar a acreditar, me faz sorrir quando to triste. Cuida de mim mesmo de longe, briga comigo quando faço coisas erradas, teima comigo, fica me mandando fazer coisas, tipo comer. É engraçado como você se importa, e o como você percebe quando não estou bem, mesmo eu só escrevendo e você nem vendo meu rosto, você percebe por tão poucos detalhes. As vezes acho que me conhece mais do que eu mesma. Mamãe dizia que agente tem um anjo, o do céu eu não conheço mas o da terra eu já achei. Você tem que arriscar mais, as vezes te acho com medo de ser feliz, mas você não percebe a felicidade que passa pros outros, o teu olhar pensativo me faz pensar, suas manias me fazem rir, você é tipo aquela pessoa que cuida tanto de mim.
Não quero que você suma, e eu acredito que não vai sumir, eu espero pelo menos. Começamos isso de uma maneira tão imprevisível, tão esquisita, por eu já conhecer uma parte de você e você tentar me convencer de como sou teimosa. Sabe que bom que te encontrei, que bom que sempre vai estar aqui. Espero que sorria mais, que nos teus olhos eu veja mais felicidade e menas preocupação, que se arrisque muito mais, que você se anime mais, que tudo melhore…
AAAH você de 8P
8( você triste
de óculos
8) você alegre de óculos
ôô você de óculos com as sobrancelhas levantadas
oô com uma só levantada
ôo com a outra levantada

 

^^. e *-* , você e eu por perto. haha
8) e u.u , você e eu teimando haha

Só não some, obrigada por tudo.


Aceita um suco em vez de café

Um dia de chuva,
com sol.
Uma mensagem.
Um sorriso, não.
O seu sorriso.
Aquele trovão,
de cara com o medo.
O bilhete na mesa,
a vizinha fofoqueira.

Era de manhã,
e ela já havia ido embora.
A 3 horas ele toma um café,
sentado na varanda, olhando pro chão.
Ele não parece triste,
parece acostumado.

Nada de um rosto feliz,
talvez atordoado.
A cama bagunçada,
cachecol dela na cadeira,
seu perfume exalando nos lençóis.
Seu sorriso fazendo sombra no espelho.

Suas pegadas até a cozinha,
suas mãos na cafeteira.
Seus fios de cabelo no travesseiro.
Um batom vermelho aberto,
uma marca de boca na gola da camisa.

Um celular a tocar,
uma campainha a soar,
um pedido a fazer,
uma resposta a receber.

Um sonho a acabar,
um momento pra sorrir,
‘eu já esperava’, ele dizia,
mas eu sei que, em um sim ele ainda acreditava.

Último dia do ano se foi,
assim como a velha moça que estava no colchão.
Pra terminar, sobraram os restos,
os velhos objetos,
amanhã eu faço uma faxina,
semana que vem procuro outras pra por em seu lugar.

Pode ser tudo, ou quase tudo novo,
mas no seu coração,
ela nunca vai perder o lugar.

Soou o frio na sua janela, sussurrando o nome dela.


Hoje termina novembro

Sono, cansaço, mil dias em um,
24 horas eternas, noites quentes,
manhãs nubladas,  tardes em branco,
papéis amassados.

Veja só chegamos em 30 de novembro,
como pode ter passado tão rápido?
Me encontro me perco em você,
um mês pra contar uma história,
uma vida pra lembrar ao seu lado.

Gosto de novembro, porque ele me soprou você.
Com um balde gelado no rosto de um garoto preguiçoso, em segunda de manhã.
Eu recebi um sentimento que mal cabe em mim, e que eu mal acredito que posso senti-lo.

Olhei pra lua depois nos teus olhos,
você me deu aquele beijo,
as estrelas guardaram aquele momento,
porque hoje eu ia as olhar pra lembrar de você.
Como se fosse preciso.

Noite mais quente que as de costume,
se isso me agrada?
Não, mas lá fora sopra um vento,
que leva as folhas,
que arrasta risadas,
que leva de bar em bar histórias,
e eu estou aqui pra dizer, que hoje termina novembro.

O mês que me prometeu trazer os sorriso que outubro me roubou,
e chega de promessas, chega de planos,
agora vem dezembro, e eu peço pra que nada aconteça.
O inesperado costuma ser mais gostoso.

Sorria pra mim dezembro enquanto eu me despeço de novembro.


8 anos e mais que uma história pra contar

Dia nublado, gosto disso. Acordei com o vento fazendo barulho na janela, 3 mensagens me esperando no celular, um doce bom dia dos pássaros nas gaiolas do vizinho e um cheiro de chuva que me obrigava a ficar mais um pouco na cama.
Um dia bom pra passar de pijama, vendo filmes curiosos, com um chocolate quente. Tipico dia de filme que as vezes você tem a honra de presenciar. Acho que dormi de mais, acordei tarde hoje, não costumo fazer isso, mas sei os motivos para tanto sono. Acho que as xícaras de café não funcionam mais.

Passei a noite com você andando por ai e conversando. Fazia tempo que não tinha uma conversa com um cara que não olhasse minhas pernas, bunda ou seios e sim os meus olhos. É vocês homens são uns pilantras que só sabem olhar a mulher pelo corpo, mas as mulheres não estão longe disso.  Agente se conhece a tanto tempo e você tinha muito a me contar, só não sei se eu queria ouvir tudo. Você brincava com as pombas, jogava pedras nas coisas, e se eu não te conhecesse diria que você tinha 10 anos e ainda empinava pipas. Ah! Não posso esquecer do sorriso timido de lado que você me dava quando eu via que tava olhando pra mim.

8 anos. Muito né? Fazia tanto tempo que nos conhecíamos e ali me senti falando com um estranho que sabia muito de mim, você sabia cada gosto meu, mania, e até mesmo o que eu ia dizer das coisas que você falava. Não sei como eu passei tanto tempo contigo e não percebi o cara fascinante que estava ali do meu lado. Você era um carinha estranho e um tanto quanto perfeito. Perfeito de mais. Meninas normais, estariam felizes por se quer serem sua amiga, e passarem míseros segundos só seu lado, tendo o prazer de ganhar um doce sorriso ou que você ajeitasse o cabelo dela atras da orelha.

Um cara tímido, sorridente, com bom humor, que faria de tudo pra tirar um sorriso seu, romântico, fofo, que te da flores e te chama de linda depois de tomar um banho de chuva , estar descabelada e com a maquiagem toda borrada. Ah, e como eu disse perfeito de mais. Gastei horas jogando conversa fora com você, falando de tudo e nada ao mesmo tempo, e as vezes ficando no silêncio pensando em coisas que talvez me deixassem com um pouco de medo de estar ali.

Ele me fez entrar em um parquinho de criança, falava que todos tínhamos uma criança eterna que se escondia no nosso dia-a-dia para encararmos a sociedade primitiva que vivíamos. Me sentei no balanço e fiquei olhando para a areia que sujava meu all star, você colocou seus dedos entrelaçados aos meus nas correntes do balanço, ficou atrás de mim enquanto eu pensava em alguma desculpa para tirar minha mão dali.

– Acreditou que eu estaria aqui, quando te liguei a dois dias atras?
– Confesso que achei que você não viria.

Ele olhava as estrelas que eram poucas no céu , aquela noite.Ventava e as folhas secas na rua faziam barulho.

– Você é definitivamente uma guria complicada.
– E isso deve ser ruim, não é?
– Não gosto de coisas fáceis.
– Huun.

Minha resposta seca era uma espera de que ele não continuasse a falar.
– Acredita em destino? Finais felizes?
– Já não sou uma menininha de 7 anos… Sei lá.
– Eles parecem bonitos nos livros, nos filmes, mas e na realidade… existem?
– Para alguém deve existir.
– Você não faz o tipo de garota a acreditar em finais felizes.
– Porque?
– É só te olhar que o cara já desiste de tentar algo com você…
– O que isso tem have com finais felizes.
– Você não se permite tentar arriscar, deixar que alguém te faça feliz.

Ele não estava errado, mas admitir que ele estava certo seria uma fraqueza..

– Ta vendo? Você se esconde no silêncio, ou nas próprias palavras.
– Por que insiste em estar perto de alguém que caras normais não tentariam se quer uma palavra?
– Porque eu gosto de você.

Não queria ouvir aquilo.

Queria?

– Menina chata, grossa, guria seca, fria, menina que se esconde e você gosta …
– Te conheço a mais tempo que qualquer um, você é toda teimosa, toda complicada, mas é tudo isso que te torna incrível pra mim, passei a noite toda falando de qualquer coisa com você, garotas normais só falam de cabelo, unhas e coisa e tal. Faz muito tempo e dentro de mim nada mudou .

Olhei para baixo e fiquei ali sem saber o que dizer, de novo. Já tinha se passado 8 anos… Muito tempo.

– Teria sido melhor se eu nunca tivesse dito?
– Dito o que? Que … gosta de mim ?
– Sim…
– Não sei… Pra você seria?

Silêncio ficou ali por algum tempo, e por mais que eu não o visse sentia o olhar dele me fitando.

– Sinceramente ?
– Ahaan…
– Não.
– E como seria?
– Solitária, estranha .. Triste talvez… Mas porque eu teria perdido a chance de pelo menos um dia dizer, guardar não é fácil.. não pra mim.

O máximo que expressei foi um sorriso de lado e uma respiração forte.

Ele me balançou por alguns minutos e me trouxe até a porta do prédio. Sim, em completo silêncio. Colocou sua jaqueta em mim e disse que ficava linda de preto. Abriu a porta pra mim e me abraçou. Fiquei com o rosto no pescoço dele, pensando no que eu poderia dizer antes de deixa-lo ir . Então ele me segurou firme e me deu um beijo. Depois sorriu tímido e me soltou.

– Não sei porque mas acho que não precisamos de um fim…

Rolei a noite pensando no que eu fiz e se foi certo o beijo. As mensagens de hoje de manhã era ele me dando bom dia e outras duas de alguém que eu já havia dito pra me deixar. Ele não saiu da minha cabeça, mas confesso que meu medo não é de me magoar mas magoa-lo. Sou mais firme que uma porta de ferro e mais fria que uma pedra. Quase indestrutível com uma pequena falha chamada coração.

O dia nublado me deixou aqui no plágio de um dia de filme visitando minhas lembranças, to de baixo da coberta pensando em tirar umas fotos por ai… Ah meu amigo imaginário sumil, eu sabia que ia acontecer, logo vou procura-lo nas praças, encontra-lo falando alguma bobagem por ai.

Me diga que destino não existe, mas sei que ele não voltou por acaso.


sms, dia quente, 80 dias de saudade

Hoje quando eu acordei, acho que já sabia que ia ser um dia difícil.

Não sei a noite de ontem  já estava estranha, não foi uma noite normal, foi algo estranho. Eu sou estranha.
A manhã quente me revelava um dia complicado,  o vento sobrava ao meu ouvido avisando que eu perderia coisas, as nuvens diziam que nem tudo seria visto, o sol deixa as sombras e nas sombras eu me sentia confortável.

Sentei e esperei algo ruim acontecer, é normal sei lá, sentar no sofá olhar as idiotasses do Bob esponja que é o cara mais feliz que eu já vi na vida. Peguei uma xícara, e passei alguns minutos na frente da tv.

O celular tocou pelo menos umas duas vezes, me levantei e atendi. Não deveria ter atendido o dia poderia ter sido melhor. Foi então que a voz falou tudo o que sabia que ia ouvir. Desliguei calmamente e me preparei pra tudo aquilo que eu já sabia que ia acontecer.

Três respiradas bem fundo. Então comecei a digitar, em apenas uma frase eu acabei com o dia de alguém, mas junto acabei com o meu.

Lá estava  após alguns minutos a resposta da minha frase idiota, ai começa uma longa discussão que durou pelo menos uns trinta e seis minutos. Toda aquela raiva, aquele blá blá de sempre sabe?

Então colocasse um fim na briga, um adeus, um chega de tudo isso, um pra que continuar brigando, um fim …

Ai ele pede pra você sumir, esquecer tudo que passou (como se fosse possível), pede pra que não o procure, pede pra que esqueça até a briga, esqueça que um dia existiu. Ai você dá razão a mocreia que colocou olho gordo em cima, dizendo que ela tava certa sobre uma coisa… isso nunca ia da certo.

Mas então me diz , tudo aquilo que foi jurado, dito e prometido foi verdade?

E todo aquele carinho?

E todos aqueles beijos?

E todas as promessas e planos?

E todo aquele amor?

Me diz para aonde foi?

Escondidos em mentiras com um pouco de raiva sentida no final de cada palavra. Ninguém vai saber o verdadeiro motivo da primeira frase, mas achasse o culpado um dia, um dia que será classificado como tarde demais.

Casais trocados, quem será a mulher com o coração quebrado da história? Ela ? Não Ele. O menino tem mais coração que a guria que mandou a primeira fase que decidiu acabar com o dia de dois alguéns .

Dois corações quebrados? Não, apenas um magoado e o outro despedaçado.

Não haverá volta, também não foi o primeiro fim.

Ele pode derramar quantas lágrimas quiser ela não vai voltar, não que ele a queira de volta. Ela não deixou que rolasse uma lágrima, não que não tivesse vontade, talvez tenha tido, apenas no adeus, mas não ia resolver.

O pior de tudo? Não, não foi o fim, mas sim a dor de terminar algo no dia que a saudade de tanto tempo seria matada, e  não se esqueça o fim foi decretado justo sem ver o rosto, apenas vendo as letras idiotas expostas em um celular.

Aparelho que pode te fazer tanto feliz quanto triste. Maldito.

Não faz diferença a distância cuida de afastar e acalmar.

‘Quando sentir minha falta me procura’, e já sinto, mas era preciso deixar, preciso abandonar. Algumas coisas nascem com o fim prescrito, mas agente insisti em insistir naquilo que não pode da certo, ser humano metido que fica ai achando que tudo é possível.

Ela vai passar a tarde no sofá, arrumar as malas, e jogar algumas coisas no lixo.

Ele vai pegar o primeiro ônibus para casa, e quando chegar vai pedir pra não sair mais do quarto.

Molduras ao chão, fotos rasgadas, pepéis molhados, e um sorriso na manhã seguinte.

Ela vai viajar, férias ao longe, bem longe. Ele vai dizer que ela nunca sentiu, como pode agir como se nada tivesse acontecido?

Ela não vai dizer nada, nem se explicar, apenas esperar ele a esquecer.

Vão passar um do lado do outro e quem diria que seriam meros desconhecidos.

Um dia vão sorrir e vão tentar entender, mais alguém vai dizer que de novo não.

A lembrança vai calar, com um toque tudo vai poder mudar.

Mas o passado vai condenar que tudo aquilo não poderia continuar.

Veja a garota prevendo antes de acontecer ,

Deixa pra lá, o amor é assim.
Uma droga.


Só uma noite gelada, que você sem querer apareceu na minha porta, pedindo um cobertor

Ontem era sim hoje pode ser não.
Complicado, todo confuso.
Não.
Sim.
Talvez.
Não sei.
Porra.
A janela ta aberta to esperando você aparecer,
eu vou pular, mas preciso de motivos.
Quer dizer.
Não tenho motivos.
Tenho apenas vontades.
Você poderia dizer sim, poderia..
Mas não disse.
Você prometeu que viria .. mas não veio.
Não que eu não esperasse que fosse assim.
Ai ta você, parado olhando pra mim.
Seu sorriso me aquece, mas me mete medo.
Você ta tão diferente e tão igual.
Seu sorriso facinante me fez esquecer a droga que é.
Vicia essa porcaria, e eu sei que você sabe o quanto teu gosto doce pode ser amargo.
Parece que foi ontem que eu disse que tava frio e você me abraçou.
Não o frio não passou, mas eu me senti em casa.
Então você disse pra mim não te esquecer, como se fosse possível.
E eu te deixei parado em um banco esperando um táxi.
Vontade de voltar.
Parece que foi ontem..
É foi ontem.
Mas sei que daqui a um mês ainda parecerá que foi ontem.
Você é ocupado e eu entendo,
mas se puder,
marcar meu nome na sua agende,
e em uma tarde, noite, madrugada, manhã,
frio ou quente,
me ligar,
e se você quiser eu vou te ver.
Pra você perceber que eu nunca vou te esquecer.