. . o que contém atrás das palavras . .

Vários livros de uma mesma história

– Para aonde vai dessa vez? Vai .. voltar para algum lugar?
– Voltar? Eu nunca volto… Procuro lugares novos, lugares dos quais eu posso me refazer novamente.
– Nunca volta? Não vou te ver de novo?
– Talvez sim, talvez não. Quem sabe?
– Diga que vai voltar, diga que eu verei teu rosto novamente e qual trará novas histórias para sussurrar em meus ouvidos nas noites escuras com ou sem estrelas. Diga que voltará para encher minha mente com suas idas e vindas, com todas as vidas que só você pode ter em uma só. Não me deixe morrer como um livro inacabado sem qualquer inutilidade e que deixa a tal leitor com a sede de um final perfeito.
– Um livro se faz do autor, mas ele não é um bom livro se não conseguiu fazer o leitor imaginar-se ali, na grande confusão que é uma história, aquele que lê e não usa a imaginação não sabe o que  é voar sem tirar os pés do chão. Você nunca será um livro inacabado ao menos que queira parecer assim para outras pessoas. A escolha sempre virá de você, sua imaginação é um livro sem fim, mas como eu prefiro dizer a imaginação é um infinito que tudo mudo e que tudo acaba, quando você sabe imaginar só você pode parar, a imaginação não acaba quando você parar de me ouvir ela acaba quando seus olhos fecharem e a sua criança morrer.
– Você está me enrolando para dizer que não vai voltar …
– Assim como uma lagarta eu troco de vidas, hoje você me vê como um pura lagarta feia e velha, amanhã eu posso ser a borboleta em sua janela.
– Vou te encontrar em outras vidas?
– Nunca precisarei dizer quem eu sou, se eu realmente fui importante para você, se contigo tu levas uma parte de mim, não importa quantas máscaras eu use, quantas vidas eu troque, eu sei que você com um simples olhar me reconhecerá.
– Então tu voltarás?
– Melinda não peça para ser uma peça do meu jogo de xadrez. No meu jogo alguém sempre acaba perdendo.
– E se eu der o xeque mate ?
– Ao menos que você seja meu rival o que não é,e também  eu nunca perco. A vida é minha, a história é minha.
– Posso ser sua rainha na qual meu maior motivo de viver é lhe manter a salvo.
– Não deixaria nem por um instante mãos rudes tocar tal pele de veludo, tão nova e tão boba. Não sonhe assim tão cedo, só doe sua vida por quem vale realmente apena.
– E quando eu vou saber que valerá apena?
-Quando teu coração pulsar mais rápido, seu olhos não entenderem e sua razão se confundir talvez você saiba se vai valer apena, mas nem sempre quando agente acha que sente algo sabe que vai valer apena.
– Porque ?
– Porque nem tudo na vida é reciproco.
– Tu falas de amor?
– Você sabe o que é amor?
– Não sei, com tão pouca vida vivida eu seria capaz de saber?
– Amor não tem haver com o tempo, amor é algo que só quem um dia sentiu sabe o que é.
– Você sabe o que é amor?
– Se eu disser que sim faria alguma diferença?
– É o alguém?
– Tem muitos alguéns na minha vida.
– Mas sempre existe alguém, o primeiro alguém que faz diferença, e por mais que você não diga eu sei que tem medo que eu descubra.
– Continue sonhando, e tentando se descobrir, minha história é inútil a ti minha querida.
– Mas quero um livro no qual você esteja dentro.
– Mas…
– E não diga que não me quer como um personagem em sua história, em seu livro eu posso não estar, mas no meu, no qual eu criei, no mundo que eu inventei talvez você seja o personagem principal.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s