. . o que contém atrás das palavras . .

Porque todo começo sempre tem um fim

Um pedido de desculpas

Faz tempo que não passo por aqui…
Não porque as coisas estejam bem de mais, acho que só não quis vir…
Tem coisas que agente tenta esconde de si próprio mas fica difícil guardar um segredo tão perto.
Eu juro que eu to tentando esquecer, aquele velho objetivo de não se preocupar e deixar pra lá,
tolice. Nunca funciona.

Sempre achei que eu fosse meio de ferro,
frio como inverno na Europa,
dura como um carro blindado,
mas me vejo enganada.
Tento fugir de uma decisão, e claro com a ilusão até esqueço dos problemas,
momentaneamente.

Tenho medo de cruzar contigo na rua e me deparar com seu olhar a me fuzilar,
sei que uma hora de distância já será o suficiente pra ficar lembrando do seu abraço. Seu beijo
Sei que errei, que te enganei manipulei, que te usei … Iludi.
Adianta dizer que não foi a intenção?

Tanto critiquei e me vi no lugar dos errados …
Quanto se pode decidir um destino você é egoísta,
você se torna o vilão da história …
Mas eu sei que errei.

 

Agora eu não to pronta pra uma conversa, pra te dizer que não escolhi você,
e sabe não sei porque não te escolhi,
era pra se você aqui.

 

Mas aquela frase me soa tão bem agora ‘..fomos feitos um pro outro mais existem outros 6 bilhões também..’ ,
7 agora …

Posso ta errada, posso ter errado, com você, comigo com nós,
o caminho pode ta errado,
posso me arrepender muito,
mas mesmo tendo entrado pelo caminho errado, vou persistir.

Coração ta apertado.
A porta ta aberta, sei que ta magoado,
sei que vai me odiar e quando me ver na rua vai mudar de calçada,
mas nada do que um dia eu te disse foi mentira,
eu te amei, só não soube dar valor.

 


3.696 km de você

Hoje era para ser só mais um dia normal, sabe sem nada de interessante, como todos os outros. Como o coitado do relógio da cozinha que passa sempre aqueles dois ponteiros idiotas por aqueles 12 números e nunca se cansa. Mas hoje bem no fim da tarde depois de uma manhã congelante, uma tarde na base de 3 edredons que pudessem esquentar até meu último fio de cabelo, eu me deparei com a familia em um debate que eu me incluia mais  no entanto ninguém havia me chamado.
Parecia uma discussão intrigante que envolvia todos, mas que a decisão viria só de um mesmo.  Diziam sobre casas, aviões mudança não entendi bem até finalmente dizerem as 5 palavrinhas, mudar, Manaus, emprego, dinheiro, e meu nome.  Entendi que parecia que meus pais iriam se mudar (meus pais quer dizer eu ir junto), parece que meu pai havia ganhado um tipo de promoção e que lá ele ganharia o dobro do que ganha aqui. Porra. Era pra ser um dia normal, aquela velha rotina idiota de ir a escola com dedos congelando, voltar, comer, dormir a tarde toda e me matar um pouco com comerciais idiotas na tv, porque o mundo viraria essa bomba agora? Justo agora?
Sabe eu ando feliz comigo, com a minha vida, as coisas que eu faço e fiz, sei lá, sabe quando você vê que tem que ser assim, que a vida manda e você cala a boca? Todo mundo diz que a vida da escolhas pra gente ai agente escolhe e se fode, não é bem assim ela nunca me perguntou e ai Anna o que vamos fazer hoje? Vamos se fude então ? Ela não pede a minha opinião, acho que estou em confronto contra o meu eu, contra tudo isso que eu chamo de sub mente que me move, que me motiva. A vida sempre em encurralou em um canto qualquer e falou bora lá então, sai dai agora fia, e eu sempre tive que me virar pra ver aonde é que ela me levava dessa vez.  E agora ela vem com mais um desses joguinhos que acabam comigo, vida quero férias.
Voltando a mais uma tentativa da vida de me derrubar, me parecia que meu pai havia sido chamado para trabalhar em Manaus e sabe fica a um dia e vinte e três horas daqui, 3.696 km, é longe. Sei que seria mudar de vida, zerar tudo sabe? Seria como se eu pudesse me reconstruir, nascer de novo, tentar não errar, conhecer pessoas, fazer tudo mais uma vez. Mas não é tão simples. É você deixar tudo que construiu pra trás, e levar consigo só as memórias, e deixar tudo o que um dia representou algo ali, e deixar que outro alguém entre no seu lugar. Você pensa nas burradas que mesmo doloridas e te deixando as vezes cicatrizes você chegou aonde tá, e percebe que finalmente vai poder esquecer, porque é difícil deixar as coisas pra trás, simplesmente ir embora. Sei, sei eu já sei, gritei milhões de vezes para o vazio que eu queria poder recomeçar, mas agora que ta aqui a oportunidade eu talvez não queira mais.
Já faz horas que to sentada na calçada olhando para a rua e pensando em como vai ser começar de novo, e não sei, não quero. Por mas que talvez seja bom. Um novo começo e mais um final. Finalmente colocar um ponto final no capitulo que até agora mais durou na minha vida. Encerrar com um adeus que veio antes do esperado, e poder dizer que só restou o que a minha memória não foi capaz de esquecer.
Rabiscar as linhas em branco da  minha nova vida, poder respirar um ar novo, mesmo desejando o velho, olhar novos rosto esperando achar algum conhecido, se sentir sozinho no meio de tanta gente, tais sensações tão comuns, mas que podem agora serem realmente vividas.
Vou deixar rolar, e ver aonde a vida quer chegar, e se eu realmente for embora, dessa vez eu for fazer o adeus valer apena, sem lágrimas apenas com velhos sorrisos.


Só uma noite gelada, que você sem querer apareceu na minha porta, pedindo um cobertor

Ontem era sim hoje pode ser não.
Complicado, todo confuso.
Não.
Sim.
Talvez.
Não sei.
Porra.
A janela ta aberta to esperando você aparecer,
eu vou pular, mas preciso de motivos.
Quer dizer.
Não tenho motivos.
Tenho apenas vontades.
Você poderia dizer sim, poderia..
Mas não disse.
Você prometeu que viria .. mas não veio.
Não que eu não esperasse que fosse assim.
Ai ta você, parado olhando pra mim.
Seu sorriso me aquece, mas me mete medo.
Você ta tão diferente e tão igual.
Seu sorriso facinante me fez esquecer a droga que é.
Vicia essa porcaria, e eu sei que você sabe o quanto teu gosto doce pode ser amargo.
Parece que foi ontem que eu disse que tava frio e você me abraçou.
Não o frio não passou, mas eu me senti em casa.
Então você disse pra mim não te esquecer, como se fosse possível.
E eu te deixei parado em um banco esperando um táxi.
Vontade de voltar.
Parece que foi ontem..
É foi ontem.
Mas sei que daqui a um mês ainda parecerá que foi ontem.
Você é ocupado e eu entendo,
mas se puder,
marcar meu nome na sua agende,
e em uma tarde, noite, madrugada, manhã,
frio ou quente,
me ligar,
e se você quiser eu vou te ver.
Pra você perceber que eu nunca vou te esquecer.


Vários livros de uma mesma história

- Para aonde vai dessa vez? Vai .. voltar para algum lugar?
- Voltar? Eu nunca volto… Procuro lugares novos, lugares dos quais eu posso me refazer novamente.
- Nunca volta? Não vou te ver de novo?
- Talvez sim, talvez não. Quem sabe?
- Diga que vai voltar, diga que eu verei teu rosto novamente e qual trará novas histórias para sussurrar em meus ouvidos nas noites escuras com ou sem estrelas. Diga que voltará para encher minha mente com suas idas e vindas, com todas as vidas que só você pode ter em uma só. Não me deixe morrer como um livro inacabado sem qualquer inutilidade e que deixa a tal leitor com a sede de um final perfeito.
- Um livro se faz do autor, mas ele não é um bom livro se não conseguiu fazer o leitor imaginar-se ali, na grande confusão que é uma história, aquele que lê e não usa a imaginação não sabe o que  é voar sem tirar os pés do chão. Você nunca será um livro inacabado ao menos que queira parecer assim para outras pessoas. A escolha sempre virá de você, sua imaginação é um livro sem fim, mas como eu prefiro dizer a imaginação é um infinito que tudo mudo e que tudo acaba, quando você sabe imaginar só você pode parar, a imaginação não acaba quando você parar de me ouvir ela acaba quando seus olhos fecharem e a sua criança morrer.
- Você está me enrolando para dizer que não vai voltar …
- Assim como uma lagarta eu troco de vidas, hoje você me vê como um pura lagarta feia e velha, amanhã eu posso ser a borboleta em sua janela.
- Vou te encontrar em outras vidas?
- Nunca precisarei dizer quem eu sou, se eu realmente fui importante para você, se contigo tu levas uma parte de mim, não importa quantas máscaras eu use, quantas vidas eu troque, eu sei que você com um simples olhar me reconhecerá.
- Então tu voltarás?
- Melinda não peça para ser uma peça do meu jogo de xadrez. No meu jogo alguém sempre acaba perdendo.
- E se eu der o xeque mate ?
- Ao menos que você seja meu rival o que não é,e também  eu nunca perco. A vida é minha, a história é minha.
- Posso ser sua rainha na qual meu maior motivo de viver é lhe manter a salvo.
- Não deixaria nem por um instante mãos rudes tocar tal pele de veludo, tão nova e tão boba. Não sonhe assim tão cedo, só doe sua vida por quem vale realmente apena.
- E quando eu vou saber que valerá apena?
-Quando teu coração pulsar mais rápido, seu olhos não entenderem e sua razão se confundir talvez você saiba se vai valer apena, mas nem sempre quando agente acha que sente algo sabe que vai valer apena.
- Porque ?
- Porque nem tudo na vida é reciproco.
- Tu falas de amor?
- Você sabe o que é amor?
- Não sei, com tão pouca vida vivida eu seria capaz de saber?
- Amor não tem haver com o tempo, amor é algo que só quem um dia sentiu sabe o que é.
- Você sabe o que é amor?
- Se eu disser que sim faria alguma diferença?
- É o alguém?
- Tem muitos alguéns na minha vida.
- Mas sempre existe alguém, o primeiro alguém que faz diferença, e por mais que você não diga eu sei que tem medo que eu descubra.
- Continue sonhando, e tentando se descobrir, minha história é inútil a ti minha querida.
- Mas quero um livro no qual você esteja dentro.
- Mas…
- E não diga que não me quer como um personagem em sua história, em seu livro eu posso não estar, mas no meu, no qual eu criei, no mundo que eu inventei talvez você seja o personagem principal.


Há um grande mundo dentro de você

- O que te faz ficar jogado pelo mundo? O que te motiva em viver por ai, sem ter um lar pra finalmente deitar a cabeça no travesseiro e descansar?
- Não é ficar jogado pelo mundo, é saber que existem tantos mundos por ai, tantas vidas em uma só que eu posso viver.  É procurar algo que eu ainda não encontrei, e olha que a anos eu vivo nessa de viver pelo mundo. Alguém me trouxe para a terra e me deu a liberdade de escolher, e eu escolhi que viver parado em um lugar só seria inútil, para que passar tanto tempo em um lugar só se eu tenho um mundo inteiro para descobrir? Os humanos que pensam pequeno, com essa idéia de passar a vida inteira tento um lar só.
- Como pode existir tantos mundos por ai ? Tantas vidas que você pode viver? Já me falaram muito sobre você. Sobre essa sua vida de andar por ai sem ter exatamente um lugar para chegar. As pessoas tem medo de você, te chamam de maluco. Mas você não parece se importa …
- Você decidi a vida que faz, o mundo é enorme e o lugar aonde você está é tão diferente de um que está a quilômetros daqui. Nessa cidade eu posso ser o pobre louco que busca outras moradas pelo mundo a fora, em outra cidade eu posso ser o grande rei, e assim vai, em cada lugar eu monto uma história, muitas pessoas para deixar, muitas vidas para eu viver, e menos sofrimento para um pobre coração sonhador.   Já sobre esses que tem medo de mim, na verdade eles tem medo de não serem felizes, eles todos queriam poder sair por ai, mas vivem sobre um conjunto de leis idiotas e sobre a pressão de pessoas das quais não merecem meu respeito. Eu vivo sobe as minhas leis, sobe um mundo no qual eu criei.  E você tem uma imaginação muito grande para querer viver nesse lugar tão pequeno.
- Minha imaginação vem dos livros que eu tanto li, e das histórias que eu já ouvi sobre você.
- E o que já ouviu sobre mim?
- Você tinha alguém …
- Todos temos um alguém, e todos somos abandonados em uma parte de nossas vidas, eu já deixei muita gente para tras, provavelmente você só deve ter ouvido mais uma de minhas histórias.  As pessoas falam de mais.
- E se eu quisesse ir com você?
- Na minha história não há mais espaço para mais um personagem, me perdoe Melinda.


Abre espaço pra mais um mesmo que ele sempre seja o mesmo

É comum as vezes você parar e pensar aonde você está, e o que te fez chegar até ai. Ele era só uma garoto que tinha suas dúvidas sobre o mundo, um menino sonhador, cujo os sonhos se envolviam em telas de cinema, livros e músicas em seus fones de ouvido. Ele criou um mundo sobre qual ele era aquele que transformava tudo, mas esse mundo o isolou da realidade. Lá naquele mundidnho todo enfeitado, as coisas podiam não ser tão perfeitas mais se desse errado um simples ‘foda-se’ resolvia.

Não era como qualquer garoto, e não se tratava do que ele vestia apesar de todos o olharem quando ele passava. Ele não tinha tal ‘atrativo’ para olhos de mulheres, mais eram as palavras que saiam daquela cabeça que iam parar em papéis que faziam toda a diferença. Ele escrevia mais a sua fisionomia mostrava alguém que não sentia absolutamente nada.   Ouvir qualquer demonstração de sentimento sair por aquela boca era difícil, mais um porra, e um some daqui era fácil. Todos tentavam o entender, muitos o odiavam, mas ele tinha seus ‘fãs’ .

Simples garoto de all star, menino que senta na praça, coloca os fones e viaja sobre as notas de uma canção.  Um idiota puro, ele pisa, ele não reage mais ela insiste. Não sei. Talvez. Não.

Nem tudo faz sentido no pequeno mundo dele, mas sabe ela era tudo lá dentro. Ele ia buscar ela na escola, ela sorria pra ele e lhe dava um doce beijo no rosto, ele a levava pra tomar sorvete, e ela o fazia experimentar daqueles sabores tão esquisitos, e mesmo que ele já soubesse que não gostava ele experimentava só pra vê-la sorrir das caretas dele, ele a levava para casa de mãos dadas, e quando chegavam um beijo ele dava na porta da casa, e pra dentro ela corria e ele finalmente poderia deitar e dormir muito, muito bem. Mas a realidade é diferente, talvez ela só seja mais uma menina boba que se aproveita dele, enquanto ele da o mundo a ela, ela simplesmente sorri e diz que é pouco. Ele faria de tudo por ela, enquanto ela piscaria os olhos e o trocaria por algo melhor.

Não sei bem se ele ainda vive em tal mundo que ele sonha com ela, mas ele mudou. Menino sonhador ainda vive na frente de telas de cinema, criticas e comentários. Eu acho que ele ainda vai fazer seu próprio filme, talvez ele faça algo sobre a lua ele mesmo já escreveu tanto sobre ela, ou simplesmente ele escreva sobre a menina dos olhos verdes, aquela mesma que é pura fantasia. Não sei. Talvez. Quem sabe.

Hoje eu vi ele sentado na praça, sem fones, sem os olhos fechados, ele olhava para o all star, e eu percebi hoje ele olhou pra mim. Ele não sorri pra mim, não mais. Mas finalmente eu pude ver que pra mim com desprezo talvez ele não olhe mais. Não sei bem o que isso significa, mas eu vi que ele ficou muito tempo ali , parado, com um lápis na mão, e no fim da tarde quando foi embora um bilhete ele deixou. Fui até lá ver, e adivinha o que eu encontrei? Lá dizia que eu nunca mais o verei.


Sete letras

Um olhar,
um sorriso,
um pouco de mistério,
um pouco de distância,
desejo,
tentação,
e assim se formou algo tão inesperado.

Noites em claro,
mas bem vividas.
Duas pessoas desconhecidas, entregues sobre algo mais forte.
Não entendo, ele não entende.
Não sei o que temos,
só sei que ele é alguém pra mim.

Não importa quantas noites foram,
mas sim o valor que elas tiveram.
Não sei o que temos, mais isso não importa.
Mesmo de longe alguém me faz feliz.

Foram sete letras,
muito bem sussurradas ao pé do meu ouvido,
sete letras que me abalaram, e me fizeram pensar.
E ai o que eu sinto?

O que há?
Apenas dois corpos?
O tem ali dentro?
É apenas dois corações que pulsam?

 

Não,
mas me diz,
se você tivesse como escolher com quem sonhar,
seria ele hoje a noite nos teus sonhos?


Um estranho, todo estranho, meu favorito

Não sei bem como foi, nem como aconteceu, nem onde, nem porque. Mas tem coisas que agente não prevê, como uma mensagem de alguém desconhecido, talvez curiosa pra saber quem você é. Não sei, quem sabe, quais foram os motivos pra tal curiosidade? Agente nunca sabe, sabe de nada mesmo.  É como você falar com um simples aparelho, sei lá tipo você conversando com a sua tv, seu relógio, mas no meu caso meu celular. Não é que ele fale mas tem alguém por tras dele, alguém que faz um pequeno aparelho ser importante e eu ter a necessidade de que ele tenha bateria e créditos todos os dias.

Parece que eu tenho alguém que pode me acompanhar para todo lugar mesmo não estando perto de mim, ele vai pra sala, cozinha, quarto, ele me faz dormir, me da motivos para acordar, ele me faz rir, me faz pensar, algo tão pequeno tão novo, mas que parece que sempre esteve aqui. é alguma coisa estranha que eu ainda não sei identificar, para falar a verdade ele é todo estranho. Divertido, curioso, ele é todo do jeito dele que eu acho que ele tem, as vezes posso tentar imaginar como você fala, se move, se mexe, mas tudo obra da minha imaginação nada concreto, estranho não? Contar seu dia para um estranho, para alguém que a 4 dias atras nem existia.

As vezes penso como será quando eu te ver, estranho não? Não será mais com uma tela de celular que eu vou estar conversando, e eu não vou digitar vou falar, finalmente usar as palavras (palavras que nem sempre eu tenho).  Não vou pensar nisso agora, não por enquanto, vou aproveitar, vou te ter aqui sem te ter todos os dias.

Ele me chama de minha e eu de meu estranho favorito *–*’

Agente imagina dias juntos, ri, ele é meio ousado, mas me tira bons sorrisos. Nele mesmo toda estranho eu vejo um irmão, um irmão melhor amigo, daqueles que agente quer ter sempre perto para poder abraçar, contar coisas, rir, um irmão mais velho. Não sei quem sabe um dia ele esteja aqui, sem ser via sms, talvez demore, talvez não, não me importo, ele sempre será meu estranho favorito. Só peço pra que ele não desligue o celular, pode parecer idiota mais as vezes uma simples mensagem faz todo o seu dia ser mais alegre.


O que mais você deseja?

Um sorriso seu me faz toda a diferença.
Não me dê bola, você nunca me dá mesmo.
Me sinto como aqueles cachorrinhos fofinhos,
ou um simples brinquedo novo.
Aquele que você ganhou no natal passado,
é aquele mesmo!
Aquele que você jogou no porão depois que cansou de brincar,
depois que ganhou outros,
depois que eu fiquei com alguns arranhões,
e não era tão novo assim.
Você preferiu algo mais bonito,
algo com mais tecnologia.
Não te culpo, desde o começo eu sabia que ia ser assim,
mas agente é bobo, se vende por um sorriso.
Temos essa mania boba de nos entregar,
entregar o pobre coração pra alguém que não sabe cuidar.
Desculpa coração.
Mas sabe até que ele ficou bonitinho todo remendado.
Que todos os gritos permaneção dentro de mim,
que tais lágrimas escorram por dentro,
que o sangue ferva nas veias,
que o veneno da minha língua eu mesma engula,
e que o amor eu mesma supere.
Sozinha.

-

O vazio, grita.
Ecoa o silêncio.
Explode as tuas máscaras que estão ao chão.
Não chore,  o seu coração está partido,
mas se você unir as duas partes ele estará inteiro.
Serão só mais alguns remendos.
E se ele não aguentar mais?
E se não tiver conserto?
Você compra outro em qualquer camelô por ai,
eu te amo já se encontra em 1,99 ,
falsos, frios, e ecos,
porque você acha que não encontraria um coração em uma prateleira?


Nem você entenderia

Ela mexia em folhas, revirava papéis, olhava para os lados.
Ela – O futuro se torna incerto as vezes e isso me incomoda.
Ele – Te incomoda por que?
Ela  Por que eu não sei se existirá um ‘nós’ no futuro.
Ele – E isso tem importância agora?
Ela – Tem, por que como seria se não houvesse amanhã?

 

silêncio.

 

Ele – Eu não imagino um amanhã sem você.


Mochileiro da vida

Você é como um andarilho, você fugiu de casa porque não aguentava seus pais, lutou pela independência, exigiu liberdade. Sem regras. Você foi sem rumo pro mundo, se jogou de braços abertos, achou que farra era apenas o que ia encontrar. Mochila nas costas, dinheiro no bolso, máquina no pescoço. Você já passou por muitos lugares não é mesmo? Muita bagagem também né? Eu sei.
Quando você fugiu tinha outros planos, fugir parecia fácil e nem um pouco complicado, o mundo parecia grande, e tinha tantas escolhas não é mesmo? Então você encontrou pessoas, e elas te influenciaram a tomar caminhos, você experimentou coisas que nunca quis, bebeu do próprio veneno, sentiu-se incapaz, vulnerável, mas ainda sim não desistiu, teve força.  Chorou algumas vezes, mas se escondeu, você passou noites em claro, pensando em tanta coisa.
Então lá foi você correndo contra o tempo, mas ainda sim lutando pela tal liberdade.  Conheceu novas pessoas, mas agora sabia as tais armadilhas e escapou de muitas delas, as vezes você ainda tropeçou, mas agora tinha experiência sabia sair. Ficou conhecido, se sentiu finalmente em casa e liberto. Ai você a conheceu, linda, doce e meiga, nada do que você sempre quis, e essencialmente tudo o que você precisava. Você se jogou sem olhar pra baixo, acreditou que era capaz. E lá foram vocês juntos atras da tal liberdade.
Sorrisos, brincadeiras, momentos, fotos, nada que jamais será esquecido. Você está lembrando do sorriso dela agora, e daquela noite.  Prometeram coisas, fizeram planos, e aonde ela está agora? Não chore, seja melhor que isso, chorar não vai mudar nada.
Você correu, bateu a cara muitas vezes e ela esteve lá, ela te protegeu, vocês se protegeram, eram unidos, eram como um só. Tudo o que machucava um, o outro também sentia tamanha dor.  Você tinha amigos, que te fizeram promessas também, mas você chegou ao fundo do poço, e aonde estavam todos eles?  Quantos sobraram? 1? Talvez 2? Você sabe, tem todas as respostas ai.
Quando o seu mundo se abalou você teve algumas respostas, e percebeu que ou você engole o mundo ou ele engole você.  Ela te deixou com uma mão na frente e outra atrás, disse que não era você era ela, disse o quanto você a fez feliz mas era preciso ir, ela disse que voltaria e você insistiu que ela ficasse, então ela te deu um beijo e saiu, correu na chuva, te abandonou. Você chorou, se culpou por longos tempos, caminhou sozinho e não deixou que ninguém chegasse perto, construiu murros em volta de si, barreiras quase indestrutíveis, mas de que tudo isso adiantou? Seu coração te diz tanto, mas sua cabeça te nega tantas respostas, pare de pensar, pare de guardar, ela nem se quer lembra que você existe.
Nas cartas ela avisou que estava bem, que a vida dela continuou sem você, ela estava muito bem sem você, deixou isso muito claro, porque você não consegue voltar e viver?
As malas estão cheias, pesadas não é mesmo? Você saiu com uma mochila e voltou com malas enormes, e tão cheias.  As esvazie, tire cada foto, cada papel, cada roupa, tire tudo, deixa as malas completamente cheias de ar. Se aliviou não é mesmo? Olhar aquelas fotos, relembrar os momentos não é fácil, mas agora cabe a você decidir o que jogar fora. Depois de tanto tempo você voltou pra casa, porque a liberdade não é só correr por ai e achar que o mundo vai se deixar explorar, tudo tem seu preço, assim como sonhar, sonhar é de graça mais realizar o sonho tem seu preço.  A liberdade te fez crescer, te mostrou o mundo e quando você voltar eu sei que agora será tudo tão diferente.
Não me diga o que vai jogar fora, mas eu sei que terá que se livrar de coisas importantes por mais que te doa fazer isso. Dores serão precisas pra você entender um futuro nem tão distante assim, e eu sei que com o pouco que você aprendeu você entende o que eu quero te dizer.
Nessa nova mochila, coloque apenas o essencial, mas não jogue tudo fora, você precisara de algo pra lembrar, pra ter certeza de que foi real, apenas dor não prova nada. Não que você precise provar, mas as vezes … você vai entender.
Agora saia pela mesma porta que entrou, só que mais leve sem todo aquele peso, respire, volte se necessário, mas lembre-se você sempre foi capaz, você tem a força só tem que saber usa-la.


Dois corações

Ela toda quieta e toda extravagante, ele todo distante sem se importar.
Ela puxa assunto ele responde, ela sorri e ele esconde.
Perguntas vão surgir e respostas talvez não vão agradar.
A história vai rolar e muito há de se descobrir,
tanto em comum e tudo tão estranho.
Algo parecia que sempre esteve ali.
Então a pergunta condena , o sorriso era falso,
o coração partido, a lágrima a rolar.
Foi-se preciso um abraço pra segurar,
o mundo se abalou, mas ela não chorou,
a história ela foi contar, e ele, ela viu passar.
Engole o choro você aguenta,
ele dizia pra consolar.
A história terminou e ela já sorria,
o que tanto fazia mal talvez agora já cedia.
A dor dará um tempo, o sorriso aparecia,
sorria, sorria, sorria Sophia.
Dois corações tão sofridos,
agora juntos pareciam até mesmo inteiros.
Não é que as coisas tenham mudado, ou que tudo tenha sido esquecido,
mas a solução havia talvez aparecido.
Uma noite de chuva e dedos entrelaçados,
chovia lá fora,
o tremor veio, o vento frio a arrepiar,
o braço dele a envolveu de modo que seu corpo ela podia encaixar.
Sussurros aos ouvidos e algo acontecia,
finalmente o sorriso falso desaparecia.
As covinhas lá estavam, e nele também tinha,
dois sorrisos que muito dizia.
O beijo quase foi dado, mas havia talvez algo de errado,
tampar o buraco assim tão depressa,
provocava tal confusão, e o coração de novo se partia.
Dúvidas, dúvidas porque tanto a confundiam?
Hora de partir, mas de seus braços não queria sair,
a promessa ficou de que voltariam a se ver,
mas o destino é quem escolhe e ninguém pode prever.
Me diga quando ela finalmente vai te ver?
Não se sabe, mas quando chegar tudo poderá ter se resolvido,
não será um coração curado e sim dois novos corações crescido.
Cartas a trocar,
sorrisos a aparecer,
porque tu distância insiste em a entristecer?


E espero que você cuide

- Eu tenho que te dizer algo.
-Diga.
- Eu perdi o chaveiro de coração que você me deu.
-  Eu te dei o meu de verdade aquele era só objeto o de verdade ta com você, mas você precisa enxergar de uma maneira diferente porque ele não é palpável.


Pedaços de papel rasgado em cima da mesa de um bar. Não fume, não beba, não viva, não pense em sonhar. Pedaços de um coração partido em frente a varias cartas de amor. Não chore, não ligue, não volte, não ouse me amar. Milhas e milhas eu fui percorrer; por milhas eu não soube aonde ir. Às vezes não espero me encontrar. Talvez um dia eu te encontre por aí.

 

 

Abril – Sinto muito Blues


Achei no tumblr

Eu lamento pela humanidade. “Rebolation. Mulheres Frutas. Adolescentes de dezesseis anos que ganham um programa na MTV porque estão grávidas. Garotas que querem ser anoréxicas. A moda de ser bissexual. Funk. Corrupção. Colírios. Posers. Drogas. Abortos. Padres pedófilos. Pedófilos em geral. Seres humanos que não querem fazer faculdade. Garotas de treze anos que se vestem como vagabundas. Bandas de forró. Os Nardoni. O Goleiro Bruno. Suzane von Richthofen. Pessoas que acham que seu caráter é medido pelo número de followers que elas têm no Twitter. Pessoas que julgam. Pessoas que não têm respeito pelas outras. Pessoas que maltratam crianças. Pessoas que maltratam animais. Pessoas racistas. Pessoas homofóbicas. Campos de concentração. Ditadura Militar. Holocausto. Apartheid. Adultério. Divórcio. Gente idiota. Pessoas que cortam os pulsos. Padrões da sociedade que fazem garotas lindas de 14 anos se tornarem bulímicas no intuito de serem magras. Gente que fala mal de pessoas que nem conhece. Garotos escrotos que dão em cima de tudo que se move. Perguntas anônimas do Formspring. Pessoas que ficam falando sobre sexo o tempo todo. Pessoas que puxam briga por qualquer assunto. Pessoas que mentem para aparecer. Fofocas. Pessoas que dizem “Ler pra quê?”. Pessoas que querem te obrigar a estar de bem com a vida o tempo todo. Pessoas que não dão a mínima por tudo que você faz por elas. Pessoas que não acreditam em Deus. Eu lamento pela humanidade por ter criado e perpetuado tudo isso.”

(via jessymartiny)

 


Imaginar e sofrer quando realmente acontecer

Faziam mais de 4 meses que você não aparecia, claro fui eu quem mandei você embora. Mas algo estava errado, eu podia sentir, era como se faltasse algo, como se agora nesse momento eu tivesse toda a certeza do mundo que você não está bem. Sei que você deve ta em um bar, bebendo, fumando e se matando aos poucos, acho que nunca pensei como seria se você realmente não estivesse mais aqui. Eu sempre disse que você ainda vai acabar morto por causa desses seus vícios idiotas, mas você nunca me escuta, é sempre em vão falar o certo pra você. Pensando bem nunca imaginei você morto ou em uma cama de hospital cheio daqueles tubos, cheio daquelas agulhas e todo aquele sangue, você é muito liberto para viver em uma prisão tão medonha quanto um quarto de hospital.   Acho que sempre falei muito do seu egoísmo mais nunca percebi tanta coisa em mim,  eu sou tão fria quanto você, claro você me ensinou um pouco, me deu motivos, mais se eu voltar ao passado verei que talvez fui eu quem construiu tantas barreiras entra nós. Eu sempre tive medo de arriscar, e quando achei que eu tinha a tal da liberdade eu te magoei, quer dizer não sei se te magoei, você nunca disse nada, nunca tentou me dizer o que se passou naquela noite do seu ponto de vistas, eu até já tentei me explica, mas você só escuta me olha com aquela cara e sempre acabamos com um abraço intenso, que me faz passar a noite inteira pensando que ele podia não ter acabado nunca.  Não sei que diabos fez você se tornar esse homem amargo, mas eu estava com raiva quando te mandei embora, parece tão idiota mais eu queria você aqui comigo, para que eu tenha certeza de que você está bem e essa sensação idiota suma. Mas você não está aqui.
O telefone toca e eu recebo a ligação que talvez a um tempo atrás eu adorasse receber, mas não hoje. Você está no hospital no quarto 42 e pediu pra que eu fosse te ver.  Eu sempre tive um grande orgulho mas só de pensar em você em um hospital me dava um gelo na barriga, peguei as chaves do carro , desci as escadas, e fui direto ao hospital. Chegando lá fui direto para o quarto e lá estava você, com os olhos fechados, respirando por tubos, cheio de cabos, cheio de maquinas, sem cor, mal eu podia te tocar você parecia frágil como nunca.
Eu me sentei em uma cadeira que estava colocada ao lado de sua cama, e fiquei te olhando pensando em tudo que já tinha te dito.
- Sabe sei que você não deve me escutar, você sei lá deve ta dormindo, eu espero. Sempre falei pra ti que ia morrer com esses vícios idiotas, sempre briguei, mais nunca me toquei que se eu gostava de ti eu deveria te impedir, sei lá eu devia arrancar aquele cigarro idiota das tuas mãos, devia não permitir que tu bebesse, não sei eu fui fraca, eu te abandonei, eu não devia fazer isso. Queria ver teus olhos de novo, poder te olhar e dizer que só fui fria, nojenta, arrogante esse tempo todo, por te amar, porque eu queria você só pra mim, queria que você entendesse o amor que eu sinto por você, a falta que você faz … – nem percebi mais enquanto eu falava as lágrimas rolavam, e eu estava como uma criança, entre soluços e lágrimas, vermelho feito um pimentão. – Quando eu te mandei embora, eu estava com raiva, queria que você morresse, sumisse, porque eu precisa te esquecer, precisa te deixar de lado, porque só eu sei o quanto eu sofri, nunca te disse o que eu senti por você, talvez seja tarde de mais… eu espero que não.
Com algum esforço vi aqueles olhos abrirem, a maquina de batimentos cardíacos acelerar,  e pude ouvir aquele seu sorriso bobo.
Você deu uma risada e me olhou, com certo esforço pegou minha mão.
- Não podia me impedir, você sempre me avisou que eu deveria parar, mas eu nunca parei.
- Eu podia ter impedido.
- Não, não poderia. Foi uma escolha minha, eu decidi que iria ser assim.
Silêncio.
- Eu pedi que ligassem pra você, pra que tu viesse me ver. Porque um dia você disse pra mim que se eu parasse em um hospital você não veria me ver … porque veio?
- Sempre falei muito, mas na hora que vi que era verdade, que você realmente estava aqui, meu coração amoleceu.
- Que coração? Aquele que eu destrui, pisei, quebrei, aquele que eu tanto brinquei? Como ele ainda pode bater?
- Cada pedaço, pulsa por você, por mais despedaçado que ele esteja, por mais dor que ele já tenha sentido, o único que ele conseguiu amar foi você.
- Seu amor é lindo, mas você me conhece não posso te dar nada em troca.
Eu me levantei, enxuguei minhas lágrimas, e em meu rosto surgiu o sorriso mais lindo de toda a minha vida.
Suspirei, te olhei, a lágrima rolou.
- Que bom que você está vivo, fico feliz, tenho que ir embora.
- Me perdoa por não poder te dar tudo o que você quer, eu não sou seu super herói, não sou o cavalheiro que vai chegar em cima do cavalo branco, não vou poder te transformar em uma princesa, nem te dar a vida dos teus sonhos, eu não sou cara pra você. Nunca fui.
- É você ta certo… Mas infelizmente eu te amo, amo cada defeito seu, cada sorriso, cada olhar, amo seu sarcasmo, sua liberdade, suas atrapalhadas, seu humor, sua inteligência, sua forma de ver o mundo, eu amo tudo que está em você, seja como for, e seja você me amando ou não.  Mas quer saber? Pra que to te dizendo tudo isso, de que adianta? Esse amor todo é em vão…
Eu sai correndo daquele quarto, cheguei em casa e me desmanchei em lágrimas, café e cigarros. Joguei vasos na parede, rasguei fotos, cortei blusas, mais nada disso fazia o que eu estava sentindo passar, eu sabia que não ia passar, não tão depressa. Então eu fui dormir, dormir pra esquecer, ou pra simplesmente sonhar com um final que eu não acabasse na sala de estar bêbada, cheia de nicotina e cafeína, com a maquiagem borrada em cima do sofá .


O passado volta a bater na minha porta

Minha mãe nunca contou muito sobre ela e meu pai, nem como ele morreu, sei apenas que foram 5 tiros cruéis e cheios de amor ao mesmo tempo. Um amor contraditório e perigoso, que tinham os dois no sangue a adrenalina de tirar vidas e depois saborear o sabor da vitória juntos.  Um casal diferente, estranho talvez, incomum, um casal de assassinos que ganhavam seus milhões tirando vidas, sim é cruel e amedrontador mas pensa bem, unidos pelo amor e pela sede de matar, é romântico, ou não. Fui criada  longe de armas e de pessoas que pudessem me influenciar a entrar na vida que meus pais levavam, minha mãe dizia que não queria essa vida para mim.  Sou filha de um ex detetive e uma assassina de aluguel, será que eu não tinha herdado nada cruel ? é estranho querer ter o dom de matar, mas eu acho que sempre quis ter a sensação de tirar a vida de alguém com minhas mãos.
Naquela manhã eu  andava pelo hotel aonde eu e minha mãe morávamos,  e eu vi um senhor diferente, um homem maduro, não sei o que ele tinha mais me chamou a atenção, ele estava com roupas largas, estilo praia com um óculos que davam a ele a aparência de um homem rico, elegante, algo nele era estranho, mais me parecia tão familiar.
Minha mãe recebeu flores mais nada me disse, eu apenas as vi em cima da mesa, também vi um pequeno cartão que dizia “Eu voltei”, com letras elegantes e algo me disse que eu sabia de quem era aquela letra. Mas quem ele seria? “Eu voltei”, eu quem? O que minha mãe estava escondendo dessa vez? Já não bastava esconder que matou meu pai por 15 anos, e agora mais mentiras? Mas talvez pode ser alguém atras dela. Tudo me indicava que eu precisa descobrir.
Um ruído na sala de estar me chamou a atenção, a porta mal encostada deixava uma fresta que tinha o tamanho perfeito para poder visualizar a cena de dentro.  Olhei e o vi ali, o cara de hoje mais cedo, só que agora ele tinha um sorriso sarcástico na boca e estava todo elegante com seu smooking, minha mãe sentada na poltrona com um rosto sério, eu não entedia mais queria entender.
- Você recebeu minha flores?
Ele mantinha o sorriso no rosto.
- Chegue logo ao ponto, o que você quer? Veio se vingar?
- Se vingar? Porque eu me vingaria?
Ela tinha os olhos tomados por lágrimas, mas suas rugas na testa demonstravam seu orgulho e sua tensão, a não posso me esquecer do sorriso que não existia naquela boca.
- Acho que deve estar surpresa por me ver.
- Olha, não sei porque está aqui, mais vai embora suma, porque ta aqui?
Eu entrei na sala, e não pensei duas vezes.
- Pai ?
Ele me olhou com desespero e com uma 9 mm nas mãos apontada para mim.
- Quem é ela ?
Minha mãe ficou séria , e correu para perto de mim, me abarçou.
- Ela é sua filha.
Ele deu uma risada enorme.
- Minha filha? Você quer que eu acredite em você?
- Olha bem para ela, convivi esses anos todos com os teus olhos, ela me lembra você, tem seu jeito. Se não quiser acreditar não acredite, mas não faça ela pagar pelos meus erros.
- Quem vê pensa um dia me amou.
- Eu te amei Booney.
- Me amou? Depois que me deu 5 tiros ?
- Eu precisava ..
- Precisava me matar? Porque ?
silêncio.
- Eu te amei, e olha que alguém como eu foi ensinado a não amar, era impossível alguém  como eu, tão frio, tão seco, tão forte, se apaixonar. Mas ai você apareceu, incrívelmente perigosa, forte e fraca ao mesmo tempo, tão linda … Me apunhalou, mas até hoje eu não te esqueci, não esqueci cada momento, cada sentimento. Não sei como pude amar alguém como você.
Ela chegou perto, segurou o rosto dele, e o olhava como nunca vi ela olhar para alguém.
- Eu te amo, eu te amei, entenda!
-Não você é fria, você não tem coração, você é só uma farsa, uma mentira!
Ele apontou aquela arma na cabeça dela.
- Agora eu vou tirar de você o que você tentou tirar de mim.
- Não faça isso.
- O que?
- Por favor, ela não fez por mal.
- Ta querendo dizer que ela me deu 5 tiros por diversão?
Minha mãe eterna safada, criada para isso, em um simples golpe tirou a arma das mãos dele, e ela foi parar longe, os dois começaram a lutar. Era uma guerra, mais podia-se ver o amor naqueles olhos com fúria. Ele a jogou na parede, pegou a arma e fez a mira e com um simples tiro certeiro atirou. Um único tiro, uma unica vida perdida.  Ela estava morta, eu sentia, vi aqueles olhos se fecharem lentamente e a mulher tão forte e inabalável, estava morta ao chão com seu sangue escorrendo no tapete. Eu o olhei com fúria nos olhos, eu sempre sonhei com esse dia, em vê-lo, mas não assim, eu sentia raiva do homem que eu tanto esperei.
Ele se levantou e veio com andares silenciosos em minha direção, me olhou friamente nos olhos. Em poucos segundos ele estava na minha frente com a arma parada no meu coração.
- Isso atire na filha que você nunca conheceu.
Um sorriso sarcástico de lado saiu novamente da boca dele.
- As mulheres não me comovem mais.
Eu fui criada com toda a proteção da minha mãe, sempre sem armas, mas ninguém contava com as facas. Eu pequena e leve, com um simples golpe derrubei aquela arma nojenta ao chão e com uma cadeira o prendi na parede. O deixei inconsciente e o amarrei em uma cadeira perto do piano.
- Acorda idiota.
Ele começou a voltar a si. O sorriso sumiu , restava apenas um olhar confuso.
- Facas? Sem armas? Como?
Eu fui ao seu lado com minha faca tão pequena e tão afiada, sentei-me por perto e o fitei como uma leoa e sua presa.
- Porque voltou? Se não morreu porque não procurou saber?
- Acha que eu tenho medo de uma pirralha como você que se diz minha filha? Se enxergue pra mexer com facas precisa-se de treinamento, coisa que você pelo jeito não tem, então me solte menininha ridícula.
Levantei delicadamente e coloquei minha faca perto de sua mandíbula e a pressionei.
- Me diga uma motivo para eu não te matar ?


Minha TV deve ter quebrado

Era disso que eu precisava , era isso que eu sempre precisei. Dias normais, dias como todos os outros. Canções em uma roda pra me fazer lembrar que você está longe e com certeza não está pensando em mim. Eu realmente queria entender porque depois de tanto tempo eu ainda te guardo em mim. Acho que eu tenho problemas com arquivos, e você é um daqueles que agente não consegue deletar.
Eu já tentei me enganar pra te esquecer, sabe aquela velha façanha de tentar colocar  alguém no lugar de outro alguém? Eu já tentei, e confesso péssima ideia.
Trata-se de querer respirar sem sentir dor, eu queria apenas sentir o vento no meu rosto, ouvir músicas antigas e não ter um passado pra relembrar. Não um com você. Não que você seja uma pessoa horrível, pelo contrário, você sempre foi o tipo de menino que eu queria encontrar por ai, para me fazer feliz.  Aquele sorriso que me tras paz, aquele abraço que me conforta, aquelas palavras que soavam como a melhor canção, aquele jeito sem igual … era tudo o que eu queria, mas bem que eu disse queria. Ter você como passado é algo estranho, porque agente não escolhe colocar as pessoas, no passado, mantê-las no presente e quem sabe ter certeza que estarão no futuro, é que você sempre foi diferente e não desejei que fosse assim.
Mas faz tempo tudo isso, toda essa história e não entendo o porque você não sai de mim, isso me irrita me intriga, faz com que eu não me entenda, porque esses sentimentos são estranhos, eles fluem do nada em você e parece que demoram uma eternidade para te deixar em paz. Não que amar é ruim, na verdade gostar de alguém é sempre bom, mas agente podia escolher esse tipo de coisa. O coração é um orgão não um símbolo, tente entender que nem tudo é o que parece e dias normais me trazem essa certeza de que é tudo só simbólico, e que tudo passa, tudo volta ao normal, eu sentada na sala com uma xícara de café e meus desenhos ridículos na TV.
Passo um bom tempo sem você andar pelo minha cabeça, mas logo você me assombra, aparece do nada quando vejo uma propaganda, olho uma foto, vejo algo pela janela, malditas lembranças. As vezes te comparo comparo com uma mosca irritante, você briga com ela, depois você tenta pega ela, ai você coloca ela lá fora, ela volta, você respira e vai de novo pegar ela, você fica com raiva, ódio, e quando você finalmente pega e fala pronto é seu fim, você muito curioso e idiota abre a mão pra ver a tal mosca  e adivinha? Ela foge, e você pode esperar outro dia ela aparece, e você nunca aprende.
É tudo como uma tv, só que na vida real você não pode trocar de canal.


Humanidade idiota

Não me entendo. Não entendo você, não entendo os outros, não entendo os animais. Mas afinal pra que to querendo entender tanta coisa? Vo deixa pra lá, vou apenas acreditar que tudo pode dar certo, que pode chover granulado e ter um rio de milk shake, vou acreditar que dias melhores virão, que não é preciso sofrer para amar, vou acreditar que a chuva pode te trazer para mais perto, que o vento tras seu toque, que sorrisos sempre são sinceros, vou acreditar mais em mim.
Não vou mais deixar para amanhã, não vou poupar palavra, não vou agir pensando, quer dizer não sempre. Não quero ser só uma mais página, quero ser um capitulo e quem sabe durar até o final.  Vou parar de me preocupar, parar se se importar, vou parar de pensar em você mesmo que talvez não seja tão fácil assim,  vou parar de tentar, vou parar de querer manter, vou parar de te prender, vou parar de ser tão fútil e boba.
Chega de esperar, vamos agir, nem que seja pela metade, vamos agir mais um pouco, vamos de alguma forma fazer valer apena. Para de esquentar a cabeça, futebol não é religião, comida não é pecado, amar não é impossível. Mas não ame tanto, pode não ser correspondido.
Grite para te ouvirem, ou que tal apenas gritar para tirar esse eco da sua garganta?  Pule, dança, corra, você pode é só querer, é só tentar, é só buscar, é só sonhar, é só ter força de vontade !
Seja contraditório, viver é estranho, mais ficar esperando o tempo resolver não ajuda, e ver sua vida correr pelo seus olhos pode ser burrice, sei lá a sua vida é você quem faz.
Valeu apena até agora?


Conversas que começam do nada

É uma conversa boba que começou do nada ontem entre eu e uma amiga, sei que é bobagem mais ela me ajudou muito e senti vontade de posta-la aqui.  Divirtam-se.

Eu: Agente sabe o certo só não faz né?
Ela: Eu não sei nem o que é certo
Eu: Huun, dificil. O certo é estranho e as vezes inesperado ou as vezes ele não parece tão certo assim.
Ela : E tem coisas que não se tem que pensar no certo ou errado. as consequências são o que valem mais. Eu acho que quando o amor está no meio, não existe certo ou errado. Só existe o que você sente.
Eu : É por ai, mais quando agente não sabe o que sente , apenas sente sem saber explicar, nada mais faz sentido e as consequencias que se fodam.
Ela : E isso é uma merda, por um lado. mas que porra. e as vezes você até sabe o que sente, mas você não tem coragem de fazer nada. aquele sentimento fica ali, escondido, pulsando. e só. você não consegue fazer nada, por ter medo…
Eu : Ai você descobre que além daquele sentimento estranho que você o que é, você tem outro sentimento o medo, aquele que te impede, te provoca, e te tira a coragem .
Ela : … te tira a coragem e fica nisso… estagnado. parado. estacionado. as coisas não mudam, não evoluem, só o sofrimento. não é fácil lidar com isso, lidar com a dor. é horrível não ter coragem. pior ainda é precisar esconder esses sentimentos, máscaras máscaras e máscaras, dalhe máscaras.
Eu : Coragem .. o coisinha que faz falta. Mais as coisas evoluem os sentimentos também, o jeito é torcer para que o medo passe, mesmo sabendo que  ele não vai passar. Você descobre que vai ser obrigada a lutar mais dúvida de si mesmo se perguntando se tem forças para isso, se aguentará, e tem medo de perder a batalha mesmo sabendo que uma batalha não é a guerra inteira … as máscaras é a saída, mais até quando usa-las? melhor ainda até quando vamos aguentar usa-las?
Ela : E por mais que a coragem resolva dar as caras, de que adianta? de que adianta falar? de que adianta tirar as máscaras? você vai estar preparado para qualquer consequência? … máscaras são perigosas, apesar de ser uma saída, nem todos podem compreenderem e perdoarem quando você resolver abrir o jogo.
Eu : Mais e ai ? vai viver a vida inteira com a dúvida de como teria sido? E se as coisas se ajeitassem? E se você não fosse a unica a sentir? e se … e se … é sempre assim e se, mais o jogo não é de quem ganha o quem perde, pqe na verdade ninguém ganha ou perde, mais viver entre máscaras vai duer as vezes, você tem que ter forças para resistir.. uma hora vc vai cair, e as máscaras estaram no chão e como você vai se explicar? a é você não deve nada a inguém, mais é ai que ta você deve a si mesma, e as consequencias vão estar ai e não adiantará mais máscaras …
Ela :  Talvez o jeito seja não pensar em mais nada e dizer tudo o que você sempre quis, foda-se o que você vai ter como respostas. apesar de tudo, nossa carne é forte, podemos curar as feridas, nós subestimamos muito o tempo. não podemos querer pegar nossas vidas com as mãos para poder generalizá-la nos acontecimentos recentes… tudo pode mudar, em um segundo, sabemos muito bem disso… acho que quando o amor está no meio, não existem regras, o amor não é assim, é apenas sentir. então foda-se o resto. sinta, fale, faça, o resto, tempo.
Eu : Mais junto com tudo que vc sempre quis vc vai dizer coisas que não quis, e talvez não precisasse e não devesse dizer, não tudo, porque as coisas te deixam explicita e frágil, ai as pessoas vão saber te maguar, e vão ver qu eno fundo vc foi só uma mentira, uma falsa parede de concreto. isso mesmo a carne é fraca agente supera mais e a consciencia? todo muda, e vale se arrepender? não é melhor se arrepender do que fez, pqe na hora vc quis dizer, você quis fazer, do que passar a vida inteira em silêncio escrevendo papéis em brancoo … para o amor não tem regras, vale tudo falar, fazer, sentir, gritar, mais quando vc receber não receber o mesmo você vai cair, e dalhe mais coragem pra levantar …
Ela : mas por mais que seja fóda não receber o mesmo, acho que falar é bom. e se eu morrer amanhã? vou morrer sem ter falado nada? isso tudo é muito estranho é complicado, até. não vale apena ficar escrevendo coisas que nunca vão chegar ao seu verdadeiro destino… não vale. por mais que eu reflita sobre tudo isso, sempre volto ao ponto inicial “deixar as coisas como estão”…
Eu : é sempre assim, agente sabe o que é certo vc fla qu enão sabe será? tem certeza? depois de tudo isso vc ainda acha qu enão sabe? voltamos ao começo no medo, na coragem e no final deixar tudo como estar, é um circulo não importa quantas voltas vc der sempre volta pro inicio… mais depende de vc sai do circulo.
Ela : sim, depende de você para sair do círculo. medo. insegurança. vale apena agir sem pensar em nada e ver o que acontece? com um segundo de estímulo, um segundo sem pensar nas consequências… apenas agir, em um segundo, e pronto?
Eu : acabei de ler isso , a verdade dói, a mentira mata e a dúvida tortura :x isso agir sem pensar, mais pensando :x tipo agir pela metade não deixar tudo explicito só perte disso e ver aonde da. Ai quando vc descobri vc vê se vale apena deixar tudo explicito ou finalmente se calar.
Ela :  isso pode ser uma boa tentativa, agir pela metade. agir pela metade, caralho. sério, agora consigo ver outras saídas para tudo isso… e soa bonito ainda “agir pela metade”.
Eu :  sim soa, mais veremos na pratica se soa melhor ainda? lembre-se que se a metade der errado o mundo da voltas, ai vc manda tudo se fode, e da um sorriso sárcastico par vida e chuta a razão quando ela disser eu avisei. e na hora H quando vc sentir que ta errado, que não deve lembra-se é só agir pela metade, fo-se o resto, quer que seja mais fácil que isso? que seja insano agir sem pensar, pela metade.
Ela :  isso faz sentido. agir pela metade é a única alternativa plausível que resta sem ser totalmente radical com a situação. tudo vai depender de como ela será recebida, ou a outra pessoa vai completar a outra parte dessa ação, ou ela vai simplesmente “não perceber”… se agir de acordo com a primeira opção, ok, não precisa desistir de agir por inteiro. se agir de acordo com a segunda, foda-se tudo, e vamos viver.
Eu :  aja pela metade e descubra se vale apenas solta-la inteira se não valer, qu honre o silêncio, mais vc não viverá na duvida. viver é dificil fingir é mais facil mais qual é mais prazeroso?
Ela :  viver. viver. viver. é só disso que preciso. viver. ser livre. viver. amar. esquecer se for preciso. mas viver. é só isso.
Eu : é apenas isso, viver e fazer o possivel pra felicidade mais ser feliz sempre não é necessaário, seja só vc com suas vontades.
Ela : o////// exato. e conversas que começam do nada, sem propósitos, são bem interessantes e podem chegar a conclusões decisivas. é.
Eu : é por ai, quando quiser estou aqui ÇÇ daria um texto tudo isso.
Ela :  eu pensei nisso hmm. obrigada por estar aí ÇÇ e quando precisar, também estarei por aqui…
Eu : sempre to por aqui. Obrigada.

Espero que sirva para vocês tanto quanto serviu pra mim.


Adeus ano velho feliz ano novo, algo assim …

Eu só sei que amanhã é o último dia de 2010, e porra :x passou muito rápido.
Talvez eu devesse ter pedido mais desculpa, devia ter errado mais, arriscado mais, agido mais, devia ter sido mais impulsiva, eu devia ter realmente dito que eu gostava de você. Mais nada disso tira o mérito de que 2010 foi um ano para que eu posso dizer que foi um dos melhores, eu ouvi as melhores músicas, com o lançamento do CD que eu tanto esperei, eu vi os filmes dos melhores livros que li, eu ri com as melhores pessoas, eu dancei muito, eu troquei de lugares, conheci pessoas novas, vi quem realmente eu posso confiar, aprendi muito, eu cresci muito.
Todos vem me perguntando o que eu desejo pra 2011, e sabe não desejo nada, nada mesmo, eu só quero que corra o ano como todos os outros, que eu aprenda mais, que eu viva mais, quero que esse ano seja tudo diferente ou tudo igual, não importa eu só quero viver e não deixar nada passar, talvez eu não queira cometer os mesmos erros de 2010, mais eu cheguei aqui pelo erros e a certos, então não importa como vai vir o novo ano, e sim que ele vai vir, e vai ser outro ano cheio de aventuras, histórias, brincadeiras, erros e tudo mais.
Vem 2011, porque o tempo de 2010 está contado, e ta acabando.
Porra, Feliz Ano novo para vocês e que seja bem melhor do que o meu.
*-*’


Amar é para poucos

Criada para matar . Talvez eu realmente tenha sido isso, uma sedutora. Alguém que só sobe encantar e machucar. Linda mulher com puro veneno escondido. Entenda que um belo rosto e um corpo formoso pode esconder mais que belas curvas e proporcionar prazer. Eu encantei todo tipo de homem, para o meu prazer. Fui contratada para descobrir coisas e treinada pelos melhores para tirar proveito de tudo aquilo que eu tinha.  Uma doce e frágil menina que nunca teve o coração partido mas, que fazia questão de partir o dos outros.
Não me pergunte como o conheci, nem eu me lembro são muitos homens para me lembrar apenas de um. Mais ele foi diferente, quer dizer ele sempre foi. Não tem nada de comum, ele foi criado para talvez os mesmo objetivos que eu.  Um detetive que me procurava e que soube me enganar.  Vou tentar lembrar como a história aconteceu mais não se surpreenda.
Eu estava sendo seguida por um homem que tinha um cigarro na mão e uma maleta preta. Eu consegui despista-lo mais precisei ver quem era, uma assassina não deixa um perseguidor passar. Procurei informações sobre ele, e descobri que era um detetive muito conhecido, mais vivia as escuras, tinha fama de ótimos disfarces e ninguém nunca o viu diretamente, também muito contratado para sumir com pessoas. Era realmente muito interessante ter um inimigo de nível atras de mim.
Ele passou a mandar cartas e bilhetes para mim, me ameaçando e tentando fazer eu desistir dos meus planos, como ele sabia dos meus planos? Parece que eu tinha alguém muito esperto tentando me pegar, mais nada me impediria de assaltar o homem mais rico da cidade, quero férias mais preciso de dinheiro suficiente para não voltar mais para esse país.
Foram duas semanas com ameças atras de mim, até ele finalmente aparecer em uma festa de gala, colocou um faca no meu pescoço e me arrastou para uma sala, aonde ficamos sozinhos.
Você me levou para seu esconderijo depois de usar seus conhecimentos para me desmaiar sem me machucar. Eu acordei em um salão enorme cheio de armas e computadores, muitas facas para uma pessoa só .
- Famosa matadora , bom dia.
- O que você quer?
- Você anda estragando meus planos, preciso que saia do meu cominho por bem ou por mal.
Ficamos  discutindo por horas mais ele não conseguiu me matar, ele contou algo sobre alguém. E disse que eu parecia esse alguém. Ele me manteve ali por semanas, me tratou bem, e eu finalmente tive o coração de gelo derretido, eu havia me apaixonado pelo meu próprio inimigo.
Passamos a nos conhecer, e fazer alguns trabalhos juntos, é incrível como matar alguém se tornou mais prazeroso com você ao meu lado.
Quase tudo estava preparado para o grande roubo,  iamos fugir para outro país e tentar viver dias normais, sem matar apenas uma simples fotógrafa e um … não me lembro agora mais ele sonhava algo. Só queríamos ter uma vida normal.
No dia do grande  roubo deu tudo certo, mais eu esqueci de te dizer algo.
- Eu trabalho sozinha.
- Do que está falando?
Depois de ter avançado o alarme, matado 9 policiais, 5 seguranças, fugido de 3 armadilhas  e ter o dinheiro em mãos, eu tomei a decisão mais difícil da minha vida, ou não.
- Eu sou uma sedutora, uma matadora de aluguel , você acha que foi fácil chegar aqui? Não, não foi, eu devo dizer que eu sofri muito para estar aonde estou.
– Não to te entendo, vamos rápido temos que sair daqui.
– Eu sei. Mais só um sairá daqui com esse dinheiro e eu devo te dizer que eu nunca perco. Desculpa.
Eu dei 5 tiros no peito e o vi cair no chão. O sangue dele jorrava, e eu me sentia péssima. Eu debrucei no peito dele e olhava aqueles olhos que eu tanto amei.
- Por que? – ele sussurava.
- O amor e a morte andam de mãos dadas… Booney eu te amo.
- Tarde demais.
Eu vi aqueles olhos de fecharem para sempre, e me doeu muito. Mais eu fui criada para viver sozinha, e nós sempre fomos muito diferentes ele lutava pela liberdade, e eu uma mandona de carteirinha.  Duas pessoas opostas, ele sempre disse que gostava disso em mim. Eu sempre vou me lembrar do doce som daquela voz, daquelas mãos sobre mim, e dos beijos, dos poucos momentos. Mas não me arrependo, ele morreu pelas minhas mãos, e me orgulho por que não preciso de amor, eu matei o melhor dos detetives, fiquei com a grana e sumi pelo mundo, hoje tenho uma vida de rainha com quantos homens eu quiser, e ele era só mais um.
-  Você nunca o amou de verdade?
- Amar é algo muito grande … Eu nunca pude amar, e eu sabia que seria ele ou eu. Eu realmente o amei muito, e ainda o amo, não sei se faria igual se pudesse voltar. Mas entenda o amor não são rosas, são apenas espinhos disfarçados, entenda que ele não te leva a nada e minha ambição mostrou que amar é inútil,  é para os fracos.
- Não posso amar?
- Claro que pode… Só não espere o cara dos teus sonhos em cima de uma cavalo branco, isso é conto de fadas e ele não existe.  Perguntas de mais …
- Ele sabia de mim ?
- Se ele soubesse ele estaria aqui. Boa noite filha.


Na fumaça do seu cigarro

Já era quase noite e quase nem percebi, porque o dia foi todo cinza e com apenas alguns raios de sol.  O dia foi todo sossegado, e eu passei ele todo na cama, apenas olhando os passarinhos na janela e as vezes ficando um pouco sentada na varanda, admirando as pessoas que por ali passavam. Eu vi muitas cenas na minha cabeça, revivi muitas coisas, momentos, sensações, lugares, tudo. E sabe as vezes pensar em vez de te ajudar só de confundi ainda mais.  Talvez devêssemos pensar menos e agir mais,   colocar as coisas em prática, agir por impulso e não pensar em conseqüências, elas são idiotas e só servem para nos prender a algumas coisas.  Acho que foi isso que eu fiz noite passada, um surto de agir por impulso, de dar vida ao meu extinto animal, dar vida a carne do humano que é tão fútil e fraca, que se desmancha ao contato com outro corpo, não foi exatamente apenas tentação, acho que além de agir por impulso agi por desejo, de ter alguém que eu gosto muito em mãos.
O corpo do ser humano é frágil e se rende por pouco, mais acho que minha razão, minhas convicções sempre falaram mais alto. Odeio chegar em conclusões que não gosto, isso me irrita, na verdade eu me irrito comigo mesma, porque sempre me considerei alguém que não sabe amar. E é eu não sei, eu não daria minha vida por ninguém, não sei se posso dizer isso. Acho que teria que passar por tal sensação para saber do que sou capaz por alguém, e saber que você abala meu mundo mesmo sendo um cara todo errado, destrói tudo o que eu sempre achei certo para mim.  Você não tem nada que eu sempre procurei em um homem, e eu toda detalhista e uma garota que só pensava no futuro, trombei com alguém que fez meu mundo desmoronar, e me fez perceber que não importa mais nada, isso eu levo como se você tivesse me libertado de mim mesma, mais seria um erro se apaixonar.  Não sei exatamente como isso de se apaixonar acontece, eu apenas gostei de pessoas nunca me apaixonei, nunca senti vontade de dizer um ‘eu te amo’ para alguém, mais com você é diferente, sinto a vontade de expor o que eu sinto, coisa que eu nunca fiz.
Enfim, com tanto tempo pra pensa, cheguei nas conclusões de que talvez eu tenha me apaixonado por você, amar não é errado, sofrer é opcional, mais esquecer como faz?  Não me ensinaram a amar, mais parece ser fácil simplesmente acontece, mas esquecer é algo meio intrigante na minha visão.  Com tanto pra pensar quase nem percebi que você estava parado na minha frente, me olhando com cara de bravo.

- Você me deixou lá … sozinho.
- Eu disse que não acabaria sozinha em um quarto de hotel.
-  E porque me deixou lá?
- Você não disse que ficaria.
- Eu não ligo mesmo.
- Então porque está aqui ainda? A porta é logo ali, se já teve resposta para o que queria , pode ir.
Eu voltei a olhar as estrelas e fingi que ele nem ali estava . Ele me tomou nos braços e me deu um beijo, me acariciou e eu senti o velho cheiro do veneno que eu sei que iria matar ele um dia. Me soltei daquele corpo mesmo o meu pedindo para estar no meio daqueles braços.
- Não quero mais que venha me ver.
- Você disse que ia me esperar …
- Não disse que seria pra sempre .
- E esperaria por quanto tempo ?
-  Não existe um tempo pra esse esperar que eu disse, mas você me provou que te esperar seria inútil e decepcionante.
Ele me olhava com  fúria naqueles olhos, eu o vi pegar o bastão idiota e o acender, leva-lo até a boca e soltar aquela fumaça no meu rosto.
- Fume o quanto quiser a vida é sua, quem vai morrer é você mesmo .
Eu dei as costas  e o deixei ali, simplesmente sai andando pela rua, sem olhar para trás, e mesmo que talvez eu goste de você, quer dizer mesmo que eu esteja apaixonada por você , eu transformarei esse amor em uma fumaça, que o vento leva e a chuva destrói os rastros. Esse amor é a fumaça do seu cigarro idiota.


Quarto de hotel

Momento digno de silêncio profundo. Noite escura e eu e você parados em um beco, um corredor estreito e com muita pouca luz, apenas a da lua e de algumas estrelas. Chovia de leve, o suficiente para borrar minha maquiagem e me deixar com o rosto todo manchado. Meu cabelo que antes eram lindos cachos que previam uma noite linda, agora se desmanchavam com a água da chuva, fazendo dos cachos meros fios lisos novamente, meu vestido agora estava meio sujo e com algumas partes de seda rasgada e minha fita vermelha no chão. Você me olhava e segurava uma taça na mão cheio de alguma bebida forte que tinha um cheiro que só de eu respirar me dava náuseas.  Você me tomou em seus braços e passou sua pele na minha, eu não me movi fiquei como um robô ou uma boneca sendo usada. Seu smoking preto estava ao chão, sua gravata já estava larga e seu cabelo todo bagunçado, você continuava a me olhar e me acariciar esperando de mim qualquer reação.
- Você está tão fria, tão forte, tão orgulhosa, tão grossa, irônica … você não é assim.
Dizia ele degustando a bebida.
- Sempre fui assim, você apenas não teve a honra de me conhecer de verdade.
Ele segurou meu corpo ao dele e com suas mãos apertou minha cintura, sem tirar seus olhos dos meus.
- Não sou mulher de uma noite.  Não quero acordar sozinha em um quarto de hotel na manhã seguinte.
- Eu nunca te prometi amor.
- Mais também nunca disse que não amava.
O silêncio era como uma tortura, mais eu sabia que debaixo daquele peito havia apenas um órgão e não um símbolo de um sentimento, afinal não havia sentimento naquele corpo apenas puro veneno e uma grande quantidade de álcool e nicotina.
Ele sussurrava palavras em meus ouvidos, e eu não resisti, a carne é fraca , foi minha última desculpa a mim mesma para ter me rendido ao desejo de luxúria. Eu me vi entrar em um lindo quarto de hotel e derrepente eu já estava em seus braços em uma linda cama cheia de rosas. Ele dedilho meu corpo inteiro com suas mãos, eu me rendi aos vícios dele eu experimentei aquelas bebidas que desciam queimando por minha garganta e me proporcionavam uma ardência nas minhas veias, experimentei aquele cigarro que era o pior vicio dele, dei a primeira tragada, o que foi o mais difícil, afinal meus pulmões rejeitavam aquele cheiro sem mesmo eu estar com o cigarro em mãos, eu sentia aquele cheiro a metros de distância e eu tinha horror a ele, mais eu continuei a me render a seus vícios, a toda aquela vida inútil que ele achava que era a melhor vida do mundo e eu repudiava, que eu tinha horror, aquele mundo que ia contra tudo que eu sempre achei certo. Ele  me fez a mulher mais feliz do mundo naquela madrugada, me tratou como uma rainha, fazendo de mim o centro de todas as atenções.
Eu acordei em seus braços com alguns raios de sol nos meus olhos,   eu me levantei e me enrolei em um lençol. Comi algumas coisas que estavam na cozinha, e enquanto comia eu pensava no quanto valeu aquela noite, no quanto tudo aquilo que todos falam que viciam para mim não tinha passado de uma noite de surto, e tudo aquilo era algo que eu achava inútil, coisa ridículo que o ser humano se renda a mera bebida e um bastão idiota, por mais que ele te dê uma sensação de prazer, ele nunca ocupa o espaço do vazio que há em alguém que ama, então não diga que fuma e bebe por amor, tudo isso é uma mentira uma pura desculpa para poder se matar aos poucos.  Eu olhava você deitado na cama e via o cara que eu sempre quis, aquele que sumia e do nada aparecia, aquele que nunca ia me dizer um ‘eu te amo’ , mais que não precisava-se de palavras quando se tratava daquele silêncio comprometedor entre nós dois, eu vi em você o cara que eu sempre quis para viajar o mundo comigo, o pai dos meus filhos … Mas não eu estou errada, você é apenas um viciado que renega o amor e eu tenho certeza que me usa para esquecer ela. Não importa, essa manhã não será você a me deixar na cama. Me vesti, me arrumei, me olhei no espelho e tinha certeza do que iria fazer, coloquei meu sapato, liguei para o taxi e estava pronta para ir embora.
Meus olhos se rendiam a querer deixar lágrimas a rolar, mais eu não permiti, eu te olhei por uma última vez e em um papel eu escrevi ‘não preciso do seu amor, vivo muito bem sozinha. E como você diria, para que um amor se posso morrer ao lado do meu cigarro, morra sem os seus pulmões só não me espere para te visitar hospital, me recuso a ver tal cena. ‘ Eu fechei aquela porta e desci pelo elevador, entrei no taxi e pedi para que ele me levasse para casa. Enquanto eu via a minha vida passar pela janela do carro eu tinha toda a certeza de que amor não era sofrer, e eu não podia te amar.


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.